O caso ENRON e suas táticas geniais

Ao se estudar a governança corporativa nas empresas, é imprescindível não falarmos do escândalo da ENRON, isso por que a ENRON foi o estopim para uma série de leis e medidas corporativas para a entrada de uma empresa em qualquer uma das bolsas americanas.  Essas leis e medidas começaram por iniciativa popular após a falência da empresa e ficaram conhecidas como Lei Sabanes-Oxley, também conhecida como SOX.

O que aconteceu de tão grave que foram necessárias tais medidas?

A Enron Corporation foi uma companhia de energia americana, localizada em Houston, Texas. Empregava cerca de 21 000 pessoas, tendo sido uma das empresas líderes no mundo em distribuição de energia (eletricidade, gás natural) e comunicações (Wikipédia); A ENRON chegou a valer 70bi de dólares em seu ápice e 100 bi alguns dias antes de sua decadência.

Sua falência afetou a vida de milhões e milhões de pessoas que possuíam ações, fundos de aposentadoria, etc. Até quem não investia na ENRON diretamente foi afetado, pois se a pessoa tinha algum tipo de investimento, provavelmente estavam relacionados à ENRON. E não é por menos, a empresa subia 90% num ano, 50% no outro, 100% no seguinte. A empresa era uma “máquina de fazer dinheiro”, ao menos parecia ser, e as ações sempre fechavam acima do índice S&P ou das bolsas americanas. Trabalhadores investiam tudo que ganhavam, toda a sua poupança em fundos de aposentadoria exclusivos da ENRON, a fim de multiplicar seu dinheiro e ter uma aposentadoria tranquila.

Mas por que a ENRON era tão poderosa?            

A ENRON utilizou as mais perversas táticas do capitalismo para alcançar a hegemonia e ser a empresa queridinha de WallStreet. Ninguém desconfiou de suas táticas e nem questionaram seus números até a sua implosão.

enron_kenA imagem é uma alusão ao Titanic que também afundou, assim como a ENRON. Porém, no caso do Titanic o capitão afundou junto com a embarcação, já no caso na ENRON o capitão Ken Lay pegou seus milhões de dólares e fugiu, deixando todos afundarem com a empresa

 

Os truques geniais da ENRON

Elenco abaixo algumas das táticas utilizadas pela ENRON.

  1. Compra de leis e medidas
    A compra de medidas provisórias não é privilégio das terras TUPINIKINS, a ENRON patrocinou diversos deputados para que o setor de energia e gás fosse “desregulamentado” ao longo dos anos. A energia e gás passaram a ser tratados como comodities, e precificado de acordo com a oferta x demanda, semelhante ao que estamos vendo ultimamente no brasil. Além disso, os executivos da empresa mantinham relações estreitas com a família BUSH que estavam no poder dos EUA naquela época.
  1. Compra e fusão de empresas menores
    A ENRON comprou e/ou englobou diversas empresas menores a fim dominar mercados locais, chegando a possuir o suprimento de energia de estados inteiros.
  1. Inclusão de valores de venda de energia futura no balanço
    Talvez essa seja uma das ideias mais brilhantes da ENRON, a capacidade de geração de energia era contabiliza quase como um “estoque”, e a ERON os contabilizava pelo preço que achava que valiam, sem saber se iriam no futuro conseguir vender essa energia ao preço estimado. Isso culminava sempre com saldo positivo no balanço contábil
  1. Traders in home
    A empresa possuía uma divisão só de traders que eram pagos para “apostar” a favor da empresa, negociando contratos futuros de energia milionários. Além de especular o mercado de ações fazendo as mesmas subirem.
  1. Controle da demanda
    Com o controle das empresas de energia locais, a ENRON fechava as usinas e centros de distribuição a fim de diminuir a oferta de energia. Com isso o preço subia! Os traders que “apostavam” que a energia iria subir (os traders da ENRON), levavam toda a grana para a empresa. O que gerava lucro e fazia as ações também subirem.
  1. Pagamentos milionários aos sócios controladores
    Os sócios controladores recebiam de bônus valores astronômicos, coisa na casa dos 300 milhões de dólares.
  1. Empresas fantasma para esconder o prejuízo.
    É claro que essa festa toda não durou muito tempo, pois a ENRON não tinha compromisso com a austeridade financeira. Gastavam tudo o que tinham e não tinham pois o dinheiro sempre vinham. Mas com o tempo a empresa passou a contabilizar prejuízo e por este motivo foram criadas diversas empresas fantasmas para “esconder” esses prejuízos de forma que os mesmos não fossem apresentados nos balanços da ENRON. O que deixava o balanço da ENRON sempre positivo impossibilitando a visualização de problemas na empresa. Fazendo a ENRON vender mais e mais ações, apesar do prejuízo interno

 

Este foi sem dúvida o caso mais perverso de manipulação de todo o sistema capitalista. Com ideias inovadoras e geniais, apesar de perversas, a Empresa reinou por anos até seu apogeu em 2001.

Para quem quiser se aprofundar no assunto, recomendo o documentário abaixo:

Documentário: ENRON, Os mais espertos da sala

 

É isso galera, não tentem fazer isso em casa pois dá cadeia, mas fiquem espertos com as empresas que crescem muito sem parar e sem justificativa, alguma coisa de errado tem!

Um abraço e sucesso a todos!

Anúncios