Reflexão – O Vendedor de Sonhos

Ontem fui ao cinema com minha esposa para ver o filme “O Vendedor de Sonhos”, baseado no livro do Augusto Cury – o qual eu não li – e por este motivo irei comentar um pouco sobre o filme, e não sobre o livro.

Não irei comentar o enredo do filme em si, mas refletir sobre algumas de suas ideias centrais:

Por que você trabalha?

Acredito que o primeiro questionamento crítico do filme é por que trabalhamos tanto, por que nos dedicamos cada vez mais aos negócios e cada vez menos às nossas vidas? Pelo dinheiro? Pelo poder? Pelo reconhecimento? Ou pela nossa própria arrogância?

Por que pessoas milionárias continuam trabalhando? Por que pessoas de poder continuam lutando para se manter no poder? Por pessoas reconhecidas internacionalmente continuam a trabalhar sua visibilidade?

Esse é um bom questionamento pois vemos inúmeras pessoas nessa situação, será mesmo uma busca sincera por dinheiro, poder e reconhecimento, ou somente uma maneira de alimentar a própria arrogância?

Como você quer ser lembrado?

Em determinado momento do filme O Vendedor de Sonhos leva os mais altos executivos do país ao cemitério e pergunta como eles querem ser reconhecidos?

Nas lápides vemos frases como “Pai amoroso”, “Irmão amigo e sincero”, “Pessoa íntegra e caridosa”, etc..

Ou seja, no final, ninguém te lembrará pelo cargo que ocupava, ou pela posição social que possuía, e sim pela pessoa que você era com seus amigos e parentes e pelo que ensinou aos próximos.

Aproveitar o que é importante AGORA

O último, e não menos importante ponto do filme, é aproveitar o AGORA, aproveitar cada segundo ao lado das pessoas que ama, buscar seus sonhos, mas sem deixar de lado aqueles que tem você como parte do sonho deles, afinal, o amanhã pode ser tarde demais.

Por que nós buscamos a Independência Financeira?

Se buscamos a IF para ficar livre para viajar e conhecer o mundo, vamos fazer isso aos poucos, mesmo ainda não sendo milionários e não podendo largar tudo para viajar, vamos fazer pequenas mas intensas viagens, e após conseguir a Independência Financeira, intensificar as viagens.

Se buscamos a IF para ficar livre do trabalho e passar mais tempo com a família, vamos continuar buscando a IF, mas sem deixar nossa família e amigos e lado. Mesmo sem poder parar de trabalhar ainda, dê um tempo a quem gosta de você e estão ao seu lado, aproveite cada minuto ao lado de sua família e intensifique os momentos felizes.

Se buscamos a IF para conseguir empreender nossas ideias e fazer o que gostamos, o que te impede de empreender e fazer o que gostamos agora? Mesmo continuando trabalhando e não tendo muito tempo, mas empreender AGORA e fazer o que te deixa feliz AGORA.

 

Dica do Riquinho: busque seus objetivos, suas metas, seus sonhos, mas não esqueça de aproveitar o que está acontecendo AGORA em sua vida, pois amanhã pode ser tarde demais!

 

 

E Você? O que busca com a IF? O que te impede de fazer isso AGORA?

Não esqueça que o mais importante não é atingir o objetivo e sim o caminho para alcança-lo. O que importa é que iremos aprender e fazer para alcançar esse objetivo, o que iremos nos tornar como pessoa. Aprenda a cada dia, torne-se uma pessoa melhor a cada dia!

Abraços e Sucesso a todos!

 

 

Anúncios

5 comentários sobre “Reflexão – O Vendedor de Sonhos

  1. não teve como não lembrar do livro “4 hour workweek” – Tim Ferris no último tópico. Em resumo, muito melhor do que passar uma vida toda esperando se aposentar, é ter várias mini-aposentadorias durante a vida, 2 ao ano por exemplo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s