A Economia que não compensa (por que continuei com meu seguro atual)

Bem amigos da finansfera, hoje irei comentar um pouco do por que acabei optando pelo meu seguro de carro atual.

A renovação do meu seguro ficou R$ 2100 com minha atual seguradora (Azul seguros), e continuou sendo a cotação mais barata que achei frente às demais seguradores clássicas do mercado:

  • Bradesco (R$ 3300)
  • Porto Seguro (R$ 3500)
  • Itaú Seguro (R$3600)
  • Yasuda Marítima (R$ 3900)
  • SulAmérica (R$ 5500)

Porém, mesmo com a cotação da AZUL de R$2100, achei caro,  visto que este valor equivale a 8% do valor do meu carro.

Tentando baixar este valor de seguro para um patamar de no máximo (5% do valor de meu carro, encontrei a YOUSE. Eles oferecem um pacote de seguros personalizado, onde você conta com os seguros básicos (Roubo, Desastres Naturais, e Perda Total) e vai adicionando os serviços que acredita serem úteis pra você, como Guicho, socorro 24h,  carro reserva, etc.
É muito fácil e intuitivo montar seu pacote de seguros, e no final meu pacote ficou 10 x 170 = R$ 1700.
Ainda não era o valor que queria, mas já correspondia a 6,5% do valor do carro, 1,5% a menos que os seguros tradicionais.

 

Mas por que optei por continuar com meu seguro na AZUL?

A YOUSE não possuí uma modalidade que acredito ser essencial, os Danos Materiais à Terceiros. Isso significa que caso venha a bater em algum carro ou moto terei que arcar com o prejuízo pois o seguro não irá cobrir os danos.

Não que eu goste ou queira ficar batendo nos outros carros a lá carrinho de bate-bate, mas são coisas que acontecem quando você menos espera, principalmente com quem mora nas capitais e regiões metropolitanas. Aqui onde moro o risco de você desviar de um buraco, ou de uma pessoa atravessando a rua e atingir o carro do lado é altíssima, isso quando não aparece um motoqueiro kamikaze do nada ao seu lado bem quando você está convergindo de faixa.

Acredito que se morasse em um cidade tranquila do interior, dificilmente renovaria meu seguro com a AZUL, mas aqui em São Paulo, prefiro gastar 400 reais por segurança, do que ter de arcar com um prejuízo maior.

tumblr_lp42hwn3pm1qbwoopo1_500Não que eu saia por ai batendo em todo mundo, mas vontade não me falta! hahaha


DICA: Aumente o valor de reembolso dos Danos Materiais a Terceiros.

Essa cobertura vem muitas da vezes configurada com o valor mínimo R$ 50.000 de danos materiais à terceiros. Mas na boa, que carro que custa isso hoje em dia? Pelo menos aqui na região onde moro, meu carro é o mais rebinha e não é difícil encontrar carro superiores a 100 mil reais. Um dia desses, parado no semáforo, realizei uma amostragem com os carros em minha volta e contei 8 carros entre 20 e 50 mil, 6 entre 50 e 100mil, e 2 com valor maior que 100mil.
Assim, cheguei a conclusão que 100 mil seria um valor adequado para reembolso. Esse aumento de valor em minha cobertura deixou o seguro apena 30 reais mais caro. Não sei o que vocês acham, mas acredito que vale muito a pena pagar 30 reais a mais para uma cobertura de 50mil a mais!

Um abraço e sucesso a todos!

 

OBS: Essa publicação não é patrocinada, é apenas uma divulgação de dados e experiências de uma situação cotidiana real vivida pelo autor.

 

Anúncios

5 comentários sobre “A Economia que não compensa (por que continuei com meu seguro atual)

  1. O tal do seguro de carro… rs
    A minha solução para isso foi: não tenha um carro.

    Comprei um veículo zero, final de 2013, com 15% de desconto devido a desconto de produtor rural.
    Paguei R$ 36.500.

    2 Anos depois, 11.000km, o vendi por R$ 33.200, e tive R$ 9.000 de despesas, onde as maiores foram seguro (durante 1 ano somente), IPVA e Gasolina, claro…

    Ou seja, R$ 6.250 por ano, considerando a desvalorização. Nem quero pensar no custo de oportunidade.

    Isso me deu R$ 520 por mês de despesas para me deslocar, em média 458 km.

    Para o meu padrão de uso, estava alto. Vendi. Hoje, esse dinheiro rende entre R$ 300 ~ R$ 350 por mês. Só isso já paga as minhas despesas de locomoção (que se resume a Uber e locações de carro, quando necessário)….

    O problema de ter um carro e não ter seguro é a Lei de Murph. Se você não tiver, COM CERTEZA alguma coisa irá acontecer.. hehehe

    Abraços!

    Curtir

    • Fala pobre japa, é um prazer tê-lo no blog.
      Sabia que iria existir uma opinião como a sua, e concordo totalmente com ela.
      Por muito tempo não utilizei carro, porém agora, casado e com filho de colo é difícil ficar sem um.
      Mas comprei um carro ano 2013, fora de linha e completo, o qual paguei 25mil, hoje, após um ano é meio, ele esta 27mil. Acredito que fiz uma boa escolha e não irei perder tanto dinheiro quanto um carro zero.
      Como digo, dos males o menor.

      Abraços 😉

      Curtir

  2. Nem tenho seguro, vivo a vida louca.
    Sério, o seguro do meu carro era mais de 10% do valor dele. Coloquei um rastreador comprado no mercado livre e o restante vou na torcida.
    Problema mesmo é contra terceiro, até cotei somente contra terceiros mas ainda saiu muito caro e eu meio que abandonei.

    Curtir

    • Corajoso!!! Mas se bem que acredito que também não faria seguro se o mesmo fosse acima de 10%, ou o trocaria rsrsrs
      De quaisquer forma, seguro é muito caro! E ainda tem gente que quer pagar seguro de um cardo de 100mil reais

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s